VETFLOGIN - DICLOFENACO VALLEE - 50 ML

Vetflogin - Diclofenaco Vallee - 50 Ml

Aproveite, ainda temos 3 itens no estoque
R$ 23,00
ou R$ 21,85 à vista (com 5,00% de desconto no Itaú Shopline)
Quantidade
Consulte frete e prazo de entrega

Não sabe o CEP?

descricao

 

 

bula

FÓRMULA:

Cada mL contém:
Diclofenaco sódico.........................................50,00mg
Veículo q.s.p. ................................................1,00mL

INDICAÇÕES:

- É indicado para todas as doenças que requeiram atividade antiinflamatória, analgésica ou antipirética em bovinos, eqüinos, ovinos, caprinos e suínos. 
- Controle de estados febris e endotoxemias.
- Tratamento das dores e inflamações pós-traumáticas e pós-cirúrgicas.
- Recomendado para o tratamento de processos inflamatórios primários agudos e crônicos, ou conseqüentes a outras patologias dos vários sistemas orgânicos, como por exemplo: estomatites, glossites, faringites, laringites, traqueítes, bronquites, otites, uveítes, conjuntivites, dermatites, vulvo-vaginites, cistites, balanopostites, etc.

Em eqüinos:

- Tratamento de processos inflamatórios do aparelho locomotor: nas desordens ósseas (periostites, osteítes e fraturas), nas desordens articulares (sinovites e luxações), nas desordens tendíneas (tendinites) e nas desordens musculares (miosites).
- Nas claudicações, síndromes dolorosas da coluna vertebral e neurites de origens diversas. Nos casos de esgotamento físico.
- No alívio de dores viscerais ou cólicas: para o efeito imediato, a via intravenosa é a mais recomendada. Os primeiros efeitos podem ser verificados nos primeiros 15 minutos, favorecendo a prevenção de auto-lesões. Nesses casos, a causa deve ser rápida e cuidadosamente investigada para a instituição do tratamento específico, dada a natureza grave do quadro.

Em bovinos, ovinos e caprinos:

- Tratamento sintomático de doenças respiratórias, gastroenterites colibacilares neonatais, edema mamário pós-parto e artropatias diversas.

Em suínos:

- Auxiliar no controle da Síndrome Metrite-Mastite-Agalaxia, gastroenterites e doenças respiratórias.
- Terapia para desordens locomotoras (osteoartroses e osteocondroses).


INDICAÇÕES SECUNDÁRIAS:


Como terapia de suporte no tratamento de processos infecciosos, acompanhados de inflamação, dor e febre, como mastites, pododermatites, metrites, pneumonias, e diarréias. Nesses casos deve ser garantida a adequada terapia antimicrobiana até a cura completa do quadro. Também é indicado como tratamento sintomático nas reações a picadas de animais peçonhentos.

 

DOSAGEM:

A dose recomendada é de 1 mg / kg de peso corpóreo, o equivalente a 1 mL / 50 kg de peso corpóreo. Volumes maiores que 10 mL deverão ser fracionados em dois ou mais pontos de aplicação.

Quando necessário, as doses devem ser repetidas a cada 24 horas.

O tratamento deve ser mantido até a obtenção dos efeitos farmacológicos desejados, uma vez que não ocorre acúmulo do fármaco após repetição de doses. Geralmente são necessárias de 3 a 5 aplicações, conforme a natureza do quadro clínico.

O diclofenaco pode apresentar variações individuais na resposta farmacodinâmica, podendo as dosagens e intervalos entre tratamentos ser alterados à critério do Médico Veterinário. 

Toda vez que for instituído um tratamento prolongado, deve-se fazer um monitoramento rigoroso do paciente quanto ao aparecimento de reações adversas, observando-se p.ex. o estado geral, o aspecto das fezes e parâmetros sangüíneos do animal tratado.
 

ADMINISTRAÇÃO:

Administrar por via intramuscular profunda, subcutânea ou intravenosa.


PRECAUÇÕES:

Usar seringas e agulhas estéreis, aplicando as normas de assepsia / anti-sepsia.

NÃO UTILIZAR EM CÃES E GATOS.


CONTRA-INDICAÇÕES: 


Animais com histórico de hipersensibilidade a antiinflamatórios não esteroidais (como p.ex. aspirina), que tenham disfunção hepática ou renal ou ainda que apresentem ulcerações gástricas e ou intestinais.


REAÇÕES ADVERSAS:


Ao diclofenaco são raras, geralmente brandas e transitórias e são desencadeadas por terapias prolongadas. Podem ocorrer reações de hipersensibilidade, irritação e sangramento gastrintestinal, dano hepático e renal (necrose papilar) ou algumas alterações hematológicas. Deve-se suspender imediatamente o tratamento e fazer um acompanhamento clínico cuidadoso até a completa regressão dos sintomas.

Não utilizar em conjunto com corticosteróides, ácido acetil salicílico, anticoagulantes, ciprofloxacino e diuréticos.

Apesar de não provocar efeitos teratogênicos, mutagênicos, carcinogênicos, nem ser abortivo, o diclofenaco deve ser utilizado com critério no final da gestação pois pode interferir com o início do parto e, no período pós-natal, interferir no fechamento das artérias umbilicais e no duto arterioso, prejudicando a viabilidade do neonato. 

Não reutilizar as embalagens vazias.


PERÍODOS DE CARÊNCIA:

- Não abater para consumo humano antes de decorridos 04 (quatro) dias após a última injeção;
- Não consumir o leite de fêmeas medicadas, antes de decorridos 04 (quatro) dias após a última injeção.
 

CLASSE TERAPÊUTICA:

ANTI-INFLAMATÓRIOS, ANTI-PIRÉTICOS, ANTI-ALERGICOS E ANALGÉSICOS


PRINCÍPIO(S) ATIVO(S):

DICLOFENACO
 

Registro no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento:

7890

Responsável Técnico:

ANTONIO CARLOS SURIAN MANGERONA - CRMV: 2294

 

 

Produtos que você já viu

Você ainda não visualizou nenhum produto

Termos Buscados

Você ainda não realizou nenhuma busca